Novo Sistema Trappist-1

Novo Sistema Trappist-1
+ 7 Planetas

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Meu ídolo celeste era violeta! O fundador da medicina moderna era doido varrido.


 Enquanto as pessoas têm usado remédios naturais desde o início dos tempos, a ideia de tomar uma pílula produzida sinteticamente é relativamente nova. Afinal, uma coisa é mastigar algumas folhas de coca porque você acha que elas têm a capacidade mágica de curar suas cólicas menstruais; outra é separar e misturar produtos químicos criados artificialmente com o objetivo de resolver o seu problema. Por esse salto gigante no pensamento médico, podemos agradecer a um médico suíço do século 16 chamado Paracelsus. (Além disso, ele afirmou ter criado uma pequena pessoa usando esperma e cocô de cavalo. Você pode agradecê-lo por isso também.)
Antes que você o crucifique pela experiência inovadora citada acima, Paracelsus (pseudônimo de Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim) realmente foi o primeiro a ter o pensamento genial de que as doenças podem ser causadas por agentes externos, e que esses agentes podem ser corrigidos com a medicação certa. Essas duas grandes inovações abriram caminho para tudo, desde modernos antibióticos a pílulas para emagrecer.
Paracelsus também acreditava que o corpo humano era um pequeno microcosmo perfeito de todo o universo. Segundo ele, não apenas somos feitos dos elementos que compõem as galáxias, mas os sete planetas conhecidos e os sete metais sabidos à época são representados pelos sete grandes órgãos do corpo. E uma boa notícia: se os venenos do espaço são o que causam doenças no interior do nosso corpo, os elementos do espaço também podem curar nossas enfermidades.
Mas ele não parou por aí. Partindo da sua forte crença de que o corpo humano é feito do mesmo material que o resto do universo, ele pensou que poderia construir o seu próprio ser humano com os materiais corretos. E foi o que ele fez: cozinhou um pouco de esperma em um tubo de ensaio, colocou a solução dentro de uma pilha de esterco de cavalo e deixou descansar durante quase dez meses. Ao fim do experimento, ele alegou realmente ter produzido uma pessoa igualzinha a nós.
Mas ele não parou por aí. Partindo da sua forte crença de que o corpo humano é feito do mesmo material que o resto do universo, ele pensou que poderia construir o seu próprio ser humano com os materiais corretos. E foi o que ele fez: cozinhou um pouco de esperma em um tubo de ensaio, colocou a solução dentro de uma pilha de esterco de cavalo e deixou descansar durante quase dez meses. Ao fim do experimento, ele alegou realmente ter produzido uma pessoa igualzinha a nós.
Em outro incidente, Paracelsus convocou uma reunião com os acadêmicos de sua cidade com o anúncio de que ele tinha o segredo mais importante de todos os tempos para compartilhar. Ele apresentou-lhes uma tigela fumegante de cocô humano. Enquanto os distintos cavalheiros saíam correndo, Paracelsus gritou: “Se vocês não querem ouvir sobre os mistérios da fermentação pútrida, vocês são uma vergonha para todos os médicos!”.


A que vos fala...

A que vos fala...
Sou uma mensageira do meu tempo, estudei música teatro medicina jornalismo e história; conheci o mestre Juan -em Teatro Buenos Aires- aprendi a desaprender tudo isso e a me reconectar com a fonte; com a #linguagemdascores, a lógica do Cosmos e a Cosmologia xamánica, vem para condensar toda essa experiencia; hoje calculo mapas cosmológicos, guio reprogramações e analiso jogos de pedras como terapia. Aplico todos estes conhecimentos no Planetas Studio, virtual e presencialmente; vivencio a transformação!

Postagens populares

Planeta Homem

Planeta Homem

Translate

Google+ Followers